É só inquietação, inquietação.

Anabela Pedro.jpeg

Dr.ª Anabela Pedro

Psicóloga Clínica 

"Cá dentro inquietação, inquietação,/ É só inquietação, inquietação/, Porquê, não sei/ Porquê, não sei/ Porquê, não sei ainda".

 

É através das palavras de José Mário Branco que se inicia este artigo: que inquietação, apatia e melancolia é esta que parece estar a pairar um pouco sobre todos? Na Psicologia dá-se a esta sensação o nome de Languishing que, segundo Adam Grant - psicólogo norte-americano - poderá muito bem ser a emoção dominante em 2021.

 

Este conceito abarca, ao contrário do flourishing, um estado de passividade e procrastinação no dia-a-dia da pessoa. Um período em que, ao invés de se florir e crescer, o indivíduo se fecha em si e não rentabiliza todo o seu potencial. Apesar de não constituir uma doença mental é, sem dúvida, uma janela aberta para que algumas doenças mentais possam emergir.

Closeup de mãos reconfortantes

Desta forma, é necessário estar atento a estes sinais e não se deixar levar na espiral da inércia, apatia e desleixo para consigo mesmo e para com a sua vida.

 

Mas como fazê-lo?

Numa primeira instância, reconhecer e aceitar que está a atravessar uma fase menos positiva na sua vida. Depois, perceber os motivos que o levam a estar apático e passivo. Por outro lado, ser capaz de admitir no seu dia-a-dia que não está bem, ao contrário daquilo que a positividade tóxica que o rodeia o fará querer acreditar. Aos poucos, procurar ganhar novamente o controlo sobre si, sobre a sua vida e futuro: planear o dia-a-dia, cuidar de si, agir para atingir as pequenas metas que foram sendo definidas.

 

Caso esta sensação esteja de tal forma exacerbada na sua vida, ao ponto de condicionar a sua rotina e de provocar sofrimento psicológico, deverá contactar um/a psicólogo/a.